• amandawviola

Salsa romesco

Fevereiro em Barcelona sempre me lembra uma coisa: calçotada!


Entenda as calçotadas como o nosso churrasco (bemmm ao estilo carioca): passar o dia disfrutando e comendo (muito e bem) entre amigos. Só que no lugar das carnes, os calçots são os protagonistas.


Calçot nada mais é do que uma cebola que foi cultivada de forma diferente (em que não se deixa desenvolver o bulbo e por isso fica parecido com o alho poró).


Assados na brasa e depois embrulhados no jornal para terminarem de cozinhar e manter o calor, eles sempre são servidos com a salsa romesco.



E eu sei que não dá para encontrar calçots em todos os lugares do mundo, mas resolvi trazer essa "experiência" para a série "expirações do mundo para te inspirar" porque esse molho é muito maravilhoso.


E o molho romesco todo mundo pode fazer em casa e transformar qualquer legumes grelhados em um acompanhamento incrível.


Como eu faço o molho romesco aqui em casa:


Asso por 1 hora:

  • 4 tomates

  • 1 cabeça de alho

  • 1 cebola

Depois de descascar tudo, trituro com um mixer (ou no liquidificador) junto com:

  • um punhado de amêndoas tostadas

  • 1 fatia de pão torrado

  • um pouco de aceto balsâmico

  • azeite. A quantidade de azeite depende da cremosidade que você quer.

E pronto! Simples! Acho muito parecido com a proposta do pesto.


A receita tradicional da salsa romesco leva ñora, que é tipo um pimentão desidratado ao sol que dá um leve sabor amadeirado ao molho. Mas você pode substituir colocando um pouco de páprica e vai ficar incrível.


O que eu mais gosto dos calçots, além do sabor, é a intenção por trás de um alimento tradicional: reunir pessoas e valorizar a cultura através dos encontros.


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo